17°C 19°C
Capão da Canoa, RS
Publicidade

Mais de 600 presos são mobilizados em ações de auxílio à população atingida pelas enchentes

Mão de obra prisional tem atuado em iniciativas como limpeza das cidades e organização de doações

27/05/2024 às 18h50 Atualizada em 01/06/2024 às 18h51
Por: Redação
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Desde o início de maio, a Polícia Penal, vinculada à SSPS (Secretaria de Sistemas Penal e Socioeducativo), tem disponibilizado a mão de obra de pessoas privadas de liberdade para prestar auxílio à população atingida pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Até o momento, mais de 600 apenados, de 47 estabelecimentos prisionais, foram mobilizados para limpeza das cidades e fabricação de itens como camas, rodos, berços e casas para cães, entre outras atividades.

Continua após a publicidade

De acordo com o secretário de Sistemas Penal e Socioeducativo, Luiz Henrique Viana, as ações irão durar o tempo que for necessário para a reconstrução do Estado. “Assim como ocorreu nas cheias do ano passado, a Polícia Penal, por meio dos seus servidores e apenados, está focada em auxiliar nas demandas que surgirem, atuando em prol das comunidades e com foco no suporte aos atingidos”, pontuou.

Devido à grande quantidade de doações recebidas no Estado, uma das frentes de trabalho dos apenados é na limpeza e no suporte ao descarregamento, à triagem, à organização e à distribuição de donativos, quando necessário.

Continua após a publicidade

Esse tipo de atividade, coordenada por servidores penitenciários, conta com o apoio de pessoas privadas de liberdade dos institutos penais de Montenegro, Canoas, Miguel Dario e Patronato Lima Drummond; das penitenciárias de Venâncio Aires e Guaíba; e dos presídios de Santa Cruz do Sul, Lajeado, Arroio do Meio, Encantado, Sobradinho e Candelária.

Outra forma de auxílio é na limpeza na limpeza de ruas e prédios públicos de cidades. Taquara, Igrejinha, Parobé, Canoas, Nova Prata, São Francisco de Paula, Três Coroas, Santa Cruz do Sul, Lajeado, Arroio do Meio, Encantado, Sobradinho e Candelária têm recebido o suporte de apenados.

Continua após a publicidade

Além disso, 20 pessoas privadas de liberdade estão trabalhando, através de termos de cooperação com a SSPS, na limpeza das sedes administrativas da Polícia Penal, da 10ª Delegacia Penitenciária Regional e do Grupo de Ações Especiais, todas localizadas em Porto Alegre e atingidas pela enchente, além do Centro Administrativo de Contingência, onde estão funcionando, temporariamente, as secretarias estaduais. Outras pessoas, que cumprem pena no Instituto Miguel Dario, no Patronato Lima Drummond e nas penitenciárias de Sapucaia do Sul e Arroio dos Ratos também atuam nesses locais.

Um dos itens mais demandados para a retirada do lodo dos espaços inundados é o rodo de madeira, ferramenta que facilita a limpeza de locais com grande concentração de lama. Atualmente, 11 estabelecimentos prisionais estão produzindo os rodos. Até o momento, 1,4 mil unidades já foram montadas por apenados.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Capão da Canoa, RS
18°
Tempo nublado

Mín. 17° Máx. 19°

18° Sensação
6.04km/h Vento
94% Umidade
100% (6.36mm) Chance de chuva
07h14 Nascer do sol
05h28 Pôr do sol
Sáb 23° 17°
Dom 22° 17°
Seg 17° 13°
Ter 15° 12°
Qua 15° 14°
Atualizado às 16h02
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,44 -0,23%
Euro
R$ 5,82 -0,32%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,19%
Bitcoin
R$ 369,733,55 -1,54%
Ibovespa
121,550,83 pts 0.92%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade